Monitores de pressão arterial domésticos erram 7 vezes em 10 medições, diz estudo

Comparar os resultados do seu dispositivo com aqueles usados no consultório é aconselhado, dizem os especialistas.

Frequentemente pacientes utilizam monitores de pressão arterial domésticos para verificar e registar esse sinal de saúde vital, mas um pequeno estudo canadense sugere que, na maioria das vezes, esses aparelhos usados em casa fazem leituras equivocadas e podem colocar a saúde do paciente em risco.

Jennifer Ringrose e sua equipe da University of Alberta – Calgary testou dezenas de aparelhos domésticos usados por 85 pacientes com média de 66 anos de idade. Os pesquisadores constataram que essas unidades de monitoramento não eram precisas dentro de 5 mmHg de pressão arterial medidas, em 70% das vezes e que esses dispositivos erravam esse registro em 10 mmHg nas outras 30% das medições.

Segundo os pesquisadores essa imprecisão pode ter sérias consequências para a saúde das pessoas. “O monitoramento e o tratamento da hipertensão arterial podem diminuir as sequelas dessa doença”, disse Ringrose, “Precisamos garantir que as leituras de pressão em aparelhos domésticos sejam precisas”.

Um especialista em diabetes com riscos cardíacos, dos EUA, concorda que as descobertas feitas pelo estudo canadense são preocupantes: “Esse estudo destaca a dificuldade de tratar a hipertensão arterial “, disse Dr. Robert Courgi, especialista em cuidados com diabetes do Northside Health’s Southside Hospital em Bay Shore, N.Y. “Se os monitores de pressão arterial domiciliar fossem mais precisos, teríamos melhor chance para o tratamento de hipertensão ser mais bem-sucedido”.

Quem comprou e usou esses monitores domiciliares deveria descartá-los? Talvez. De acordo com Ringrose existem maneiras de minimizar leituras imprecisas; primeiro, ela disse: “compare a medição do aparelho de pressão sanguínea com uma medição de pressão arterial em uma clínica antes de confiar exclusivamente nas leituras de pressão arterial doméstica”. Além disso, “O que é realmente importante é fazer várias medidas de pressão arterial e tomar decisões baseadas em leituras múltiplas”, acrescentou Ringrose. O monitoramento domiciliar ainda pode ser muito útil, disse ela: “habilita os pacientes e auxilia os profissionais de saúde a ter um histórico de medições do que simplesmente uma medida isolada em uma consulta”.

“Pacientes não devem ter medicamentos iniciados ou alterados com base em uma ou duas medidas tomadas em um único período, a menos que as medidas estejam claramente elevadas” observou o coautor do estudo, Raj Padwal.

O Dr. Yasir El-Sherif; diretor de cuidados ao AVC no State Island University Hospital de Nova Iorque – EUA disse que os achados são “Interessantes e clinicamente relevantes, na medida em que muitos médicos solicitam aos seus pacientes que mantenham registros diários da pressão arterial. Eu e muitos neurologistas que cuidam regularmente de pacientes com Acidente Vascular Cerebral pedimos aos nossos pacientes para manter um registro diário de suas pressões sanguíneas usando um dispositivo de monitoramento e nos informar caso haja uma tendência de níveis elevados”. El-Sharif acrescenta que o número de sujeitos que participaram do estudo é pequeno para resultados conclusivos, mas garante que o resultado constatado é alarmante e “aumenta a preocupação”. Certos fatores – como manguitos (que envolvem o braço), de tamanho inadequado a pacientes com um tipo específico de pressão sanguínea – combinados com uma leitura imprecisa podem dar a alguns pacientes a “equivocada sensação de segurança”, disse ele.

O Conselho de El-Sharif? “Os pacientes que usam esses dispositivos de monitoramento da pressão arterial domésticos devem levar os aparelhos aos seus médicos uma ou mesmo duas vezes para comparar as medições e sua precisão com as medições realizadas manualmente pelos profissionais de saúde”, sugere.

O estudo foi publicado recentemente no American Journal of Hypertension.

Fonte: https://consumer.healthday.com/cardiovascular-health-information-20/high-blood-pressure-health-news-358/home-blood-pressure-monitors-wrong-7-of-10-times-study-723533.html

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *