Shaná Tová – Feliz Ano: 5782

Prezados amigos,

Entre os dias 6 e 8 de Setembro próximos a comunidade judaica de todo o mundo comemorará o Rosh Hashaná, o ano novo. Tão tradicional essa data tem mais um aspecto religioso do que uma grande festa e há muitos anos passou a ser compartilhada por pessoas de diversas crenças e origens, o que tem denotado um caráter universal dessa solenidade

Cada ano que passa temos observado alguns acontecimentos que coincidem com essa comemoração. De uma maneira geral, infelizmente, esses acontecimentos não tem muitas razões para serem comemorados.

Vivemos uma época de pandemia, que além de ter ceifado muitas vidas, tem, causado uma série de consequências tristes e desagradáveis que jamais serão esquecidas. Além do mais continuamos a vivenciar um período de insegurança, intolerância, perseguições, discriminações e muitas guerras nas quais seres humanos têm suas vidas ceifadas. A falta de ética e moral é uma marca do mundo atual. Ao invés de progredir, sentimos que a humanidade está regredindo.

Nosso pais vive um momento extremamente vulnerável na área econômica-financeira, que traz severas consequências nas classes menos favorecidas. O país tenta reagir na área da saúde que tem sido vitima de uma gestão governamental que poderia ter sido melhor. O retardo nos programas educacionais de nossas crianças e jovens poderão trazer sequelas difíceis de serem superadas.

Não sabemos até quando essa situação irá perdurar. Somos otimistas em relação ao povo brasileiro que sempre demonstrou muito esforço, resiliência e coragem para superar situações adversas.

Alguns dias depois do Rosh Hashaná será comemorado o Yom Kippur, o dia do perdão, considerado o mais solene e sagrado da religião judaica. Segundo a tradição seremos julgados pelos nossos atos, pela justiça divina. Também é conhecido como o “dia do jejum” e muitos podem ter a sensação de como dói no corpo e na alma sentir sede e fome. Essa opção voluntaria adotada por aqueles que seguem os preceitos religiosos ocorre diariamente em todo o mundo com muitos de nossos semelhantes que não tem essa opção de escolha e são desprovidos da mínima condição de ao menos comer o “pão de cada dia”.

“A esperança é a ultima que morre”: só nós resta manter a esperança e lutar com seriedade, tolerância e respeito ao próximo, pelas verdadeiras convicções que norteiam a filosofia judaico-cristã.

Esse é um momento de reflexão, sobre nossas vidas e sobre o mundo atual. Temos a obrigação de nos empenhar ao máximo para evitar o sofrimento do próximo e lutar para preservar os verdadeiros princípios e valores éticos de nossa tradição.

Desejamos a você, à sua família, ao nosso país e a todo o mundo, independente de crença ou religião, um Shaná Tová, um ano bom, com muita saúde, felicidades e que todos sejam escritos no livro da vida (Hatima Tová).

Elias Knobel e família

São Paulo 4 de Setembro de 2021