O Dia do Médico

Prezados amigos.

Nesse dia em que se comemora o dia do médico, gostaria de cumprimentar efusivamente meus colegas que abraçaram de corpo e alma essa nobre profissão. O médico sempre foi valorizado, um pouco mais ou um pouco menos dependendo da necessidade e da angústia daqueles que necessitam de seu suporte e ajuda.

Difícil apontar quem nunca precisou de um médico para aliviar o seu sofrimento. Nessa época de pandemia, mais do que nunca, esse profissional, tem sido muito requisitado, enaltecido, elogiado, aplaudido, etc. Sou testemunho da dedicação de meus colegas que não medem esforços na luta contra o coronavírus que tem causado tantos males a humanidade. Quando visito a UTI, adotando cuidados preventivos necessários , percebo colegas cansados, esgotados e muitas vezes deprimidos com aquilo que estão vivenciando na luta diuturna da vida contra a morte. Uma derrota tem o sabor de uma tragédia. Mas uma vitória, que felizmente tem predominado, transforma aqueles semblantes sofridos num sorriso glorificado pela conquista de salvar a vida de um ser humano. Segundo o Talmud: “quem salva uma vida, salva a humanidade” e essa prática tem sido rotineira para todos aqueles médicos que se dedicam a sua profissão de corpo e alma. Uma luta que não se limita as pandemias mas na assistência constante que todos os colegas praticam nos mais distantes rincões desse país de dimensões continentais.

A prática da medicina não é fácil, mas nada recompensa mais o médico do que aliviar o sofrimento de seu semelhante. A Medicina é uma mistura de ciência, arte e paixão. Não existe recompensa maior para um profissional do que aliviar o sofrimento de um seu semelhante e num certo momento ouvir de seu paciente as palavras: “muito obrigado doutor”. São momentos marcantes que enobrecem nossas almas e que justificam os propósitos de sermos úteis enaltecendo a profissão que abraçamos.

Para terminar essas reflexões gostaria de citar algumas frases históricas:

“Onde quer que a arte da medicina seja amada, haverá também amor pela humanidade” (Hipócrates, o pai da medicina).

“Neste trabalho contra a doença, começamos não com interações genéticas ou celulares, mas com seres humanos. São eles que tornam a medicina tão complexa e fascinante” (Atul Gawande).

“Ao examinar a doença, ganhamos sabedoria sobre anatomia, fisiologia e biologia. Ao examinar a pessoa com doença, ganhamos a sabedoria sobre a vida” (Oliver Sacks).

“A prática da medicina é uma arte, não um comércio, um chamado, não um negócio, um chamado em que seu coração será exercitado igualmente a sua cabeça” (William Osler).

Queridos amigos e colegas médicos, parabéns nesse e em todos os dias, pela sua dedicação, envolvimento e exercício dessa nobre profissão que escolhemos sempre buscando salvar vidas e quando não for possível, aliviar ao máximo o sofrimento de nossos pacientes.

Elias Knobel