Sono inadequado: um problema nos EUA e no mundo

Mais de um terço dos americanos trabalhadores não dormem o suficiente, e o problema é maior entre a polícia, os militares, os profissionais de saúde e os caminhoneiros, relatam os pesquisadores.

A análise de dados de mais de 150.000 adultos empregados entre 2010 e 2018 também constatou que a taxa de sono inadequado (7 horas ou menos) aumentou de cerca de 31% para quase 36% durante esse período.

“O sono inadequado está associado a problemas de saúde física e mental leves a graves, lesões, perda de produtividade e mortalidade prematura”, disse o autor do estudo, Jagdish Khubchandani, professor de ciências da saúde na Ball State University, em Indiana.

“Esta é uma descoberta significativa porque atualmente os EUA estão testemunhando altas taxas de doenças crônicas em todas as idades, e muitas dessas doenças estão relacionadas a problemas de sono”, disse Khubchandani.

Em 2018, as profissões com os níveis mais altos de sono ruim incluíam policiais e militares (50%), profissionais da saúde (45%), transporte e movimentação de materiais (41%) e ocupações de produção (41%).

Entre os homens, aqueles que relataram dormir 7 horas ou menos por noite aumentaram de 30,5% em 2010 para 35,5% em 2018. Entre as mulheres, essa taxa aumentou de 31,2% para 35,8%.

De 2010 a 2018, os maiores aumentos na privação do sono foram relatados por homens, adultos multirraciais, idosos, residentes no oeste dos Estados Unidos e pessoas viúvas, divorciadas ou separadas.

O estudo foi publicado recentemente no Journal of Community Health.

Fonte: HealthDay News-24 de janeiro de 2020