Síndrome metabólica

Síndrome metabólica

O que é a síndrome metabólica?

Síndrome metabólica é o nome dado a um grupo de fatores de risco ligados ao excesso de peso e obesidade que aumentam as chances de desenvolver doenças cardíacas e outros problemas de saúde como diabetes e derrame. O termo “metabólico” se refere aos processos bioquímicos envolvidos no funcionamento normal do corpo.

 

Como a síndrome metabólica é diagnosticada?

As condições relacionadas a seguir são fatores de risco (comportamentos ou condições que aumentam sua chance de desenvolver uma doença) metabólicos para doenças cardíacas. Uma pessoa pode desenvolver quaisquer um destes fatores de risco, mas observe que eles tendem a acontecer juntos. A síndrome metabólica é diagnosticada quando uma pessoa apresentar pelo menos três destes fatores de risco de doença cardíaca:

  • obesidade abdominal medida ao nível do abdômen. O excesso de gordura na área abdominal é um fator de risco maior para doenças cardíacas que a gordura localizada em outras partes do corpo, como nos quadris;
  • hipertrigliceridemia (nível maior que o normal de triglicérides no sangue): ≥ 150 mg/dl;
  • HDL colesterol: < 40 mg/dl em homens e < 50 mg/dl em mulheres. HDL é considerado o “bom” colesterol porque abaixa suas chances obter doenças cardíacas. Os níveis baixos de HDL aumentam suas chances de desenvolver doenças do coração;
  • hipertensão arterial sistêmica: ≥130/85 mmHg. Significa que a pressão sangüínea está mais alta que a normal. A pressão sangüínea é registrada com dois números, normalmente escritos em cima ou antes do outro, como 120/80. O primeiro número mede a pressão sangüínea sistólica, que determina a pressão na circulação sangüínea nas batidas do coração. O segundo número mede a pressão sangüínea diastólica, determinando a pressão em sua circulação sangüínea entre batidas do coração quando estiver relaxado;
  • glicemia de jejum: > 110 mg/dl. Nível mais alto de açúcar no sangue que o normal.

 

Outros fatores clínicos e laboratoriais têm sido associados à síndrome metabólica, como síndrome do ovário policístico, acanthosis nigrican, doença hepática gordurosa não alcoólica, microalbuminúria, estados pró-trombóticos, pró-inflamatórios e de disfunção endotelial.

 

Qual o tratamento para a síndrome metabólica?

O tratamento da síndrome metabólica deve consistir em mudança de hábitos alimentares, prática de atividades físicas e, principalmente, perda de peso. A diminuição de 10% do peso diminui em 30% a concentração de gordura no interior do abdômen.

Também poderão ser necessários medicamentos para ajudar na perda do peso, assim como para controlar a pressão arterial e normalizar as alterações dos níveis de gordura e açúcar no sangue.

Eventualmente os portadores de síndrome metabólica com obesidade significativa poderão ser candidatos à cirurgia de redução do estômago.

 

Perspectivas

Aproximadamente 47 milhões de adultos nos Estados Unidos (quase 25%) poderão ter síndrome metabólica, e os números continuam a crescer. O aumento deste número está ligado à subida das taxas de obesidade nos adultos.

 

Dicas do Dr. Knobel

  • A síndrome metabólica está relacionada ao excesso de peso e obesidade que aumentam as chances de desenvolver doenças cardíacas e outros problemas de saúde como diabetes e derrame.
  • É possível prevenir a síndrome metabólica.
  • Implemente mudanças no seu estilo de vida.
  • Lembre-se que um estilo de vida saudável é um compromisso vitalício.

 

 

Este material tem propósito informativo e não dispensa a necessidade de consulta a profissional qualificado e habilitado.