Alimentos Funcionais

Alimentos Funcionais

O que são Alimentos Funcionais?

 

Alimento Funcional é aquele alimento ou ingrediente, que além das funções nutricionais básicas, quando consumido como parte da dieta habitual, produz efeitos benéficos à saúde.

O termo “alimentos funcionais” foi primeiramente introduzido no Japão em meados dos anos 80, sendo que a lei japonesa foi elaborada em Junho de 1997. Hoje vários países já contam com uma legislação específica, e no Brasil, as regras foram instituídas a partir de 1999.

Segundo ANVISA (Associação Nacional de Vigilância Sanitária), “Alimento Funcional é o alimento ou ingrediente com alegação de propriedades funcionais e/ou de saúde e que pode, além de funções nutricionais básicas, quando se tratar de nutriente, produzir efeitos metabólicos e ou fisiológicos e ou benéficos à saúde devendo ser seguro para consumo sem supervisão médica”.

 

A importância dos alimentos funcionais para a saúde

  • De maneira geral, os alimentos funcionais são considerados promotores de saúde e podem estar associados com a diminuição dos riscos de algumas doenças crônicas.
  • Os alimentos funcionais têm sido muito estudados, não curam doenças, mas apresentam componentes ativos capazes de prevenir ou reduzir o risco de algumas doenças.
  • Para obtermos o benefício é necessário seu consumo regular, ou seja, estes alimentos devem fazer parte do hábito alimentar.
  • Deve ser estimulado um maior consumo de verduras, legumes, frutas, cereais integrais, grãos integrais, soja e derivados, peixes ricos em ômega-3 (atum, sardinha, salmão, truta), pois muitas pesquisas envolvem os nutrientes presentes nestes alimentos.
  • Os alimentos funcionais apresentam resultados realmente positivos se fizerem parte de uma alimentação equilibrada e balanceada.

 

Principais alimentos funcionais pesquisados

 

Alimentos Componentes Ativos Propriedades Benéficas
Soja e derivados Isoflavonas Ação estrogênica (reduz sintomas da menopausa) e prevenção de alguns tipos de câncer.
Soja e derivados Proteína da soja Redução dos níveis de colesterol.
Peixes como sardinha, salmão, atum, anchova, truta e arenque Ácidos graxos ômega-3 Redução do LDL-colesterol e

ação anti-inflamatória.

Óleos de linhaça, soja, nozes, amêndoas, castanhas e azeite de oliva Ácido Graxo Poliinsaturado -(Linoleico) Estimula o sistema imunológico, tem ação antiinflamatória e

reduz o risco de doença cardiovascular.

Azeite, óleo de canola, azeitonas, abacate e frutas oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas) Ácido Graxo Monoinsaturado

(Oleico)

Ação antiaterogênica, anticancerígena, imunológica, hipotensora.
Chá verde, cerejas, amoras, framboesas, uva roxa, mirtilo e vinho tinto Catequinas

Resveratrol

Podem previnir certos tipos de câncer,

inibem a agregação plaquetária,

reduzem o colesterol e

estimulam sistema imunológico.

Ação antioxidante.

Tomate e derivados (molho de tomate, suco de tomate), goiaba vermelha, pimentão vermelho e melancia (frutas avermelhadas) Licopeno Ação antioxidante,

reduz níveis de colesterol e podem prevenir o risco de certos tipos de câncer, principalmente câncer de próstata.

Folhas verdes em geral (espinafre, couve, mostarda) e milho Luteína e Zeaxantina Ação antioxidante,

protegem contra degeneração macular (alterações na visão) e catarata.

Cenoura, manga, abóbora, pimentão vermelho e amarelo, acerola e pêssego (frutas alaranjadas) Betacaroteno Precursor da vitamina A.

Ação hipotensiva.

Couve-flor, repolho, brócolis, couve de bruxelas, rabanete e mostarda. Indóis e Isotiocianatos Indutores de enzimas protetoras que podem proteger contra alguns tipos de câncer, principalmente câncer de mama.
Soja, frutas cítricas, tomate, pimentão, alcachofra, cereja e salsa. Flavonóides. Podem prevenir o risco de certos tipos de câncer.

Ação vasodilatadora, antiinflamatória e antioxidante.

Aveia, centeio, cevada, leguminosas (feijões, ervilha, lentilha), frutas com casca. Fibras solúveis

Fibras insolúveis

Beta-glucana (aveia)

Podem auxiliar na redução do risco para câncer de cólon, bom funcionamento intestinal.

Auxiliam no controle da glicemia (fibras solúveis).

Podem aumentar a sensação de saciedade.

Diminuição dos níveis de colesterol.

Alho e cebola. Sulfetos alílicos (alil sulfetos) Podem auxiliar na redução de colesterol, pressão sanguínea, câncer gástrico e auxiliar os processos do

sistema imunológico.

Linhaça, noz moscada. Lignanas. Podem auxiliar na  inibição de alguns tipos de tumores.
Maçã, manjericão, manjerona, sálvia, uva, caju, soja. Taninos. Ação antioxidante, anti-séptica e

vaso-constritora.

Óleos vegetais. Esteróis vegetais, estanóis Podem auxiliar na redução de doenças cardiovasculares.
Leites fermentados, iogurtes, e outros produtos lácteos fermentados. Probióticos – Bifidobactérias e lactobacilis. Promoção de microbiota intestinal saudável.

Favorecem funções gastrointestinais, com redução de obstipação e podem auxiliar prevenção do câncer de cólon.

Vegetais como chicória, alcachofra. Prebióticos – frutooligossacarídeos e inulina. Ativação da microbiota intestinal, favorecendo o bom funcionamento do intestino.

 

O estilo de vida acelerado dos dias atuais associado ao sedentarismo e hábitos alimentares inadequados com predominância do consumo de alimentos industrializados e fast-foods vem contribuindo para um avanço de doenças crônico como diabetes, hipertensão e obesidade na população em geral.

Medidas como uma alimentação equilibrada, rica em vitaminas, minerais, fibras e alimentos com propriedades antioxidantes, associadas à hábitos de vida saudável, atividade física e boa interação corpo-mente são fundamentais não só para prevenir e atuar nas causas dos desequilíbrios responsáveis por doenças crônicas como na promoção de uma vitalidade positiva.

 

 

Fonte:

  • Associação Brasileira de Alimentos Funcionais: www.abaf.org.br
  • Centro Valéria Paschoal de Educação (CVPE) – Curso de Pós Graduação em Alimentos Funcionais
  • Salgado JM. Previna Doenças, Faça do Alimento seu medicamento. São Paulo: Madras Ed. Ltda. 7°ed. 2004
  • Paschoal V, Naves A, Fonseca ABBL. Nutrição Clínica Funcional dos Princípios à Prática Clínica. VP Editora, SP. 1°ed.  2007

Elaborado pelas nutricionistas Rosana Cardoso CRN4325 e Rosana Raele CRN 3745